fbpx

Vertinho usa a Rádio Sisal de Coité e disse que o atual governo municipal é ilegítimo.

Foto histórica de João Carneiro das manifestações em frente ao forum após o resultado das eleições.

Passados 20 semanas do pleito eleitoral que resultou na vitória do prefeito Francisco de Assis, mais conhecido por Assis do PT, que foi reeleito com 53,06% dos votos válidos, ou seja, 22.198 votos, contra 19.634 votos obtidos pelo democrata Éwerton Rios de D’Araújo Filho (Vertinho) correspondente a 49,94%. Uma diferença de 2.564 votos a favor de Assis.

O jornal O SERTÃO ouviu a entrevista do ex-prefeito Vertinho na rádio Sisal no programa de Val César, onde percebemos que demonstra claramente o inconformismo com a derrota nas ultimas eleições e acusa o atual prefeito Assis de ter sido eleito por abuso do poder econômico e compra de votos. Foi uma longa entrevista, onde o ex-prefeito cita a incapacidade da atual gestão governar o município .

A repercussão correu pela redes sociais (Facebook e WhatApp), declarações não confiáveis que não convém retransmitir, inclusive, as palavras ofensivas do atual prefeito na tentativa de humilhar o ex-prefeito Vertinho.

Existe um processo rolando na justiça (TRE) sim, onde ainda estão sendo arrolados várias testemunhas, e, conhecendo a justiça, o seu desfecho final poderá demorar algum tempo.

Elogiamos a conduta honesta e imparcial do Juiz da comarca de Conceição do Coité Dr. Gerivaldo Neiva durante as apurações. A nossa reportagem visitou todas as sessões da sede e não vimos nenhum indícios de fraudes durante a votação.

Mas, notamos que houve realmente o uso excessivo da força econômica, principalmente com a participação do governo estadual “derramando obras” em todo município nas vésperas das eleições que mudou completamente o voto de alguns indecisos. Até publicamos um artigo intitulado “Porque não fez antes”sic.

Para os inconformados com a derrota(19.634 votos), convém alcamar os ânimos, a justiça oficializou a vitória para o atual prefeito. Apesar de não haver um perdão para os derrotados, pois, a perseguição e as humilhações continuam, deixando que a violência, ódio e desesperança domine a cidade.

Já que existe um processo, vamos deixar que a justiça apure o caso e continuar as nossas vidas trabalhando para o sustento das nossas famílias, apesar desta crise miserável que nos impuseram.

Mário Silva