Tom Araújo: “A Ceplac é um patrimônio da Bahia e não pode acabar”

tom

Deputado demonstra preocupação com a lavoura cacaueira.

O deputado estadual Tom Araújo (DEM), emitiu nota repudiando o decreto assinado pela ministra da Agricultura Kátia Abreu, em que transforma a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) em um departamento vinculado à pasta. A decisão foi publicada na edição de sexta-feira (1º) no Diário Oficial da União (DOU).

Para o deputado, a transformação da Ceplac em departamento pode levar à perda de tecnologia e pesquisa, pois serão extintos todo trabalho realizado nas seis unidades do país. “Transformar a Ceplac em mero departamento é a mesma coisa que extingui-la” protestou Tom.

ceplac

órgão tem grande representação principalmente nas cidades do sul da Bahia.

Uma das medidas imediatas com a transformação da Ceplac em departamento do Ministério é a perda de orçamento, autonomia, e todas as políticas públicas que estão desenvolvendo na região cacaueira para soerguimento da cultura. “E as pesquisas desenvolvidas serão as mais afetadas. A Ceplac deixa de existir como órgão de pesquisa, de inspeção e difusão de tecnologia”, lembra o parlamentar.

Tom disse que se já não fosse a grave crise com a suposta introdução criminosa da vassoura de bruxa que quase dizimou a lavoura cacaueira, e os seguidos planos de reestruturação da Cultura que nunca foram adiante devido aos cortes no orçamento além dos juros altos, agora que a cultura começa a dar mostras de recuperação, é atingida de morte com as mudanças na Ceplac.

“A extinção parece ser o caminho optado pelo governo porque, em tempos de crise gerada por eles mesmos, manter um órgão como a Ceplac, apesar de toda sua tecnologia e importância para a cacauicultura. E essa medida é adotada de surpresa, sem que qualquer anuncio fosse feito. A ministra havia garantido que não faria nada para prejudicar a Bahia ou a Ceplac e, como parece ser praxe do governo, enganou os baianos, inclusive nossos parlamentarem em Brasília, até os que fazem parte da base aliada. Todos foram pegos de surpresas”, protestou Tom.

O parlamentar deve reunir-se com a bancada de Oposição na Assembléia Legislativa nesta semana e ver que medidas a Casa Legislativa pode adotar para tentar reverter a situação. “Esse não é um trabalho apenas da Oposição, mas de todos os deputados. E vamos cobrar um posicionamento firme do governador para que alguma medida seja adotada no sentido de reverter essa situação. Não podemos permitir que a lavoura do cacau e em especial a Ceplac pague pelos erros do governo. Vamos lutar, todos nós baianos, contra esse crime. Já na segunda faço indicação ao governo federal exigindo a revogação imediata da medida”, concluiu Tom Araújo.

Fonte: Assessoria Parlamentar