Sem ser eleito pelo povo, um ministro do STF tem mais poder do que um presidente da Republica.

Qualquer um percebe que tem algo errado em nossa “Carta Magna” a Constituição, a maioria do seu texto foi editada por partidos de “esquerda” liderado pelo então deputado Ulisses Guimarães, nela, tirou os poderes dos militares. O STF foi Criado após a Independência do Brasil, como Supremo Tribunal de Justiça, e renomeado como Supremo Tribunal Federal após a proclamação da República, o STF exerce uma longa série de competências, entre as quais a mais conhecida e relevante é o controle concentrado de constitucionalidade através das ações diretas de inconstitucionalidade. Mas, onde está a falha, um cargo tão importante que guarda a constituição não é eleito pelo povo?… não, os ministros são nomeados pelos presidentes da república e aprovados pelo senado federal.

O cargo de mais alto comando na nossa República é o de Presidente da República. Ele (ou ela) é responsável pelas principais alianças políticas e econômicas em nome do país e cumpre seu mandato por quatro anos, podendo ser reeleito por mais quatro. Ou até que sofra um processo de impeachment (impedimento). Cujo poder de tirar um presidente é o congresso nacional através de um julgamento presidido pelo presidente do STF.

Mas, daí novamente eu questiono, porque boa parte da população está pedindo “Fora STF”. Como citei anteriormente, os ministros do STF foram nomeados pelos presidentes anteriores. Quem foram os últimos Presidentes? Lula e Dilma, todos do PT, e… Pasmem todos nomeados só podem deixam seus cargos após atingirem sua aposentadoria. Ora, senhores estes ministros são seres humanos com falhas e erros, e muito destas falhas a população percebe que as decisões monocromáticas contra o governo são para atender seus apadrinhados políticos.

Para citar um exemplo, mais recente em decisão publicada nesta segunda-feira (23), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mendes de Farias Mello deferiu liminar determinando que a União suspenda os cortes no Programa Bolsa Família e que libere, de maneira uniforme, os recursos para as novas inscrições, enquanto perdurar o estado de calamidade pública provocado pela pandemia do coronavírus.

Veja a real situação, esta decisão foi forçada a pedido de oito governadores do PT no Nordeste, que aproveitando a comoção do vírus, para repor o beneficio tão importante para eles próprios usarem como cabo eleitoral para ganhar as eleições. Ora meus senhores, senhoras, eis a razão destes governadores terem ganhado as suas eleições. Uma vergonhosa compra de votos através de programas sociais do governo federal, o seu dinheiro, o dinheiro dos impostos.

O ciúme destes governadores, é que o governo Bolsonaro detectou irregularidades de pessoas mortas recebendo o beneficio.  Além do mais, ação visou também distribuir o beneficio para outros estados da Federação que também necessitam, não é só o nordeste. Para os governadores, a “Bolsa Família” é exclusiva para o nordeste, como se a coisa pública fosse de interesse particular deles.

Entendo que a coisa pública é de interesse geral, de forma igual e não para se utilizarem como cabo eleitoral. A Prova disso você percebe claramente, os oito estados que mais recebem bolsa família no Brasil, o PT elegeu seus governadores (sic).

Vemos o presidente da República foi eleito democraticamente pela maioria dos Brasileiros, acuado, sendo bombardeado por todos os lados, pela poderosa Globo, chantageado pelos presidentes da Câmara e do Senado tendo aval do todo poderoso STF.

Só para lembrar, num estado democrático de direito “O poder emana do povo e por ele será exercido” doa em quem doer.

 

Mário Silva

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.