fbpx

Governo finalizou trechos da transposição do Rio São Francisco

(Penaforte – CE,  Presidente da República Jair Bolsonaro posa para fotografia no canal de transposição do Rio São Francisco..Foto: Alan Santos /PR

Após mais de 13 anos de espera, no dia 9 de fevereiro de 2022, o Governo Federal finalizou a transposição do Rio São Francisco, concluindo as obras dos eixos Norte e Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco, além dos ramais do Agreste, Apodi e Salgado.

O Perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas está localizado nos municípios de Russas, Limoeiro do Norte e Morada Nova, mais precisamente no baixo vale do Jaguaribe, na chamada zona de Transição Norte dos Tabuleiros de Russas

A obra iniciada em 2005 passou por 4 (quatro) presidentes, tendo sido iniciado por Lula, mas nos seus 8 anos não conseguiu finalizar, no governo da Dilma continuou alguns trechos, mas alegou dificuldades financeiras(sofreu o impedimento), no governo de Temer, inaugurou alguns trechos, mas também não conseguiu seguir adiantes devido ao seu pouco tempo de governo.

Abandono

As obras de transposição foram abandonadas no Governo de Dilma

Em 2019, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) elaborou um relatório sobre o Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF) que apontou falhas tanto no projeto como nas obras de transposição do Rio São Francisco. O documento apresentou dificuldades na distribuição da água e erros na execução das obras que, mesmo após 12 anos de seu início, ainda não tinham sido concluídas.

O Comitê apresentou o relatório ao novo governo Bolsonaro, para que o projeto seja revisto e que apresente propostas viáveis não somente para a efetividade da distribuição de água, através dos canais da transposição, mas, principalmente, para que a revitalização de toda a bacia hidrográfica e seus afluentes, seja eficiente.

No ano de 2021 o governo de Bolsonaro lança um edital para a construção do Ramal do Salgado, trecho da transposição do Rio São Francisco, no Ceará. Com R$ 600 milhões em investimentos públicos, a infraestrutura vai abastecer 54 cidades cearenses, beneficiando 4,7 milhões de pessoas.

Também foi assinada a Ordem de Serviço para início da recuperação e adequação da Barragem Banabuiú, também no Ceará. Com investimentos federais de R$ 15,4 milhões, as obras serão executadas pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas e devem beneficiar cerca de 20 mil

Durante o evento, Bolsonaro ainda sancionou a Lei 14.225 de 2021, que altera a participação da União no Fundo Garantidor de Infraestrutura, permitindo a utilização dos recursos em projetos de concessões públicas e parcerias público-privadas da União, dos estados e dos municípios. Assim, segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional, fica criado o Fundo de Desenvolvimento Regional Sustentável, que será usado para alavancar investimentos em infraestrutura no país, com prioridade para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Jornada das Águas

O projeto da Jornada das Águas começou em São Roque de Minas, no norte de Minas Gerais, região da nascente do Rio São Francisco, e vai terminar em Propriá, em Sergipe.

A viagem de dez dias, liderada pelo ministro do Desenvolvimento Regional Rogério Marinho, percorreu os nove estados do Nordeste com anúncios e entrega de obras de infraestrutura, preservação e recuperação de nascentes e cursos d’água, saneamento, irrigação, apoio ao setor produtivo e aos municípios, além de ações de governança, com propostas de mudanças normativas no setor.

“ Água é vida, água é tudo para quem pouco tem. Se Deus quiser, nos próximos meses concluiremos toda a transposição do São Francisco. Além de concluí-las [as obras], estamos investindo na nascente do São Francisco, fazendo o reflorestamento no nosso estado de Minas Gerais”, disse Bolsonaro durante o evento.

A expectativa é levar água para mais de 12 milhões de pessoas.

 

Texto reeditado por Mario Silva (O Sertão), e, alguns parágrafos extraídos da reportagem de Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil – Brasília.