Lote com 10.400 vacinas chega para Feira de Santana e 22 municípios da região

Um lote de 10.400 vacinas de Oxford contra a covid-19, chegou na tarde deste domingo (24) em Feira de Santana. As doses chegaram de helicóptero no heliponto do Hospital Estadual da Criança (HEC) e seguiram para o Núcleo Regional de Saúde (NRS), onde serão distribuídas entre o município e outras 22 cidades da região.

Maria da Conceição da Silva Sampaio Rios, que trabalha na referência técnica em imunização do NRS, disse em entrevista ao Acorda Cidade que desse total, 8 mil doses devem ser liberadas para Feira de Santana, para vacinar profissionais que trabalham na linha de frente contra a covid-19, ampliando para os profissionais de saúde, de uma maneira geral, tanto da atenção privada, quando pública. Além de abranger também vacinadores, idosos institucionalizados, deficientes institucionalizados e quilombolas.

Ela relatou ainda que a coordenação de imunização está trabalhando para acelerar a vacinação do público desta primeira etapa.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Para que a gente realmente possa estar utilizando essas 17 mil doses, dentro desses 15 dias e para que possamos receber mais doses, ofertando para número maior de público que está dentro da primeira fase”, declarou.

Maria da Conceição frisou que não há previsão para a vacinação da população em geral. Ela declarou que devem entrar neste momento de vacinação, além de médicos e enfermeiros, mas profissionais dos variados setores de hospitais, clínicas e laborátórios.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Na segunda arremessa são trabalhadores de saúde de uma maneira geral, desde a recepção, ao maqueiro, pessoal de serviços, gerais, copeiros, devem fazer uso. Entram agentes funerários e coveiros. A gente precisa ampliar o quanto antes para as pessoas que tem o maior risco de contrair a covid. A orientação é que todos os serviços, clínicas, hospitais, laboratórios que tenham entrada para pessoas com risco de desenvolver covid ou que busquem atendimento, estejam na linha de frente, quer seja no diagnóstico, ou no tratamento, devem fazer o uso”, concluiu.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade.